Na última década o mercado imobiliário presenciou uma forte intervenção da tecnologia em processos realizados pelo corretor de imóveis. Diante disso, é comum que os profissionais desse mercado enxerguem certas inovações como uma ameaça a autonomia do seu trabalho.

No entanto, é preciso lembrar que outras profissões não só usaram a tecnologia a seu favor, como também se reinventaram através dela. Um bom exemplo são os jornalistas, que usam as plataformas digitais para difundir o seu trabalho e atingir os mais diversos públicos. E o que dizer dos profissionais do direito? A era digital trouxe novas modalidades de crimes e muitos advogados tornaram-se especialistas em crimes cibernéticos.

Em meio a tantas transformações, o corretor imobiliário também vem sentindo a necessidade de se adaptar às novas mídias. Se antes esse profissional necessitava de um catálogo físico para oferecer aos seus clientes, os dias atuais, onde vivemos conectados, oferecem inúmeras oportunidades de trocas entre o corretor de imóveis e o futuro comprador.

Novas mídias podem ser aliadas nos negócios

Um simples aplicativo é capaz de apresentar diversas funcionalidades ao corretor. Então, que tal usar essa tecnologia para aumentar os resultados e impulsionar as vendas? Softwares podem detalhar todas as informações de um imóvel, realizar o agendamento de visitas e fazer o acompanhamento de processos de negociações e vendas de forma simples e intuitiva.

Através do conhecimento do corretor nessas novas mídias, é possível responder de forma rápida as dúvidas frequentes do cliente, como, as medidas de cada cômodo do imóvel (sem o profissional precisar recorrer a uma planta física, por exemplo), o endereço, quais os comércios e serviços que existem no bairro ou até mesmo a posição do sol no imóvel em determinado horário do dia. Tudo isso com um toque na tela!

Para quem ainda tem dúvidas sobre incorporar a tecnologia ao meio imobiliário, fica fácil entender que essa “parceria” pode trazer agilidade e praticidade, tanto para o profissional quanto para o cliente. É hora de utilizar as inovações a seu favor e substituir o termo extinção por evolução.

O momento é de fortalecer laços com o cliente

Em virtude das recomendações de quarentena e isolamento social, as visitas aos imóveis não são viáveis, portanto, o corretor de imóveis pode adotar práticas criativas de atendimento ao cliente.

O primeiro contato pode ser feito por uma simples chamada de vídeo. Existem diversos aplicativos no mercado que podem auxiliar nessa etapa. Conhecendo melhor o perfil do futuro comprador, é possível filtrar os imóveis disponíveis. A apresentação das tradicionais fotos pode ser incrementada com um passeio virtual em vídeo por todos os cômodos do imóvel.

É preciso ter em mente que em um momento tão atípico como este que estamos vivendo, o ideal é não pensar somente nas vendas. Mas em um momento de tanta dificuldade, o correto não seria focar ainda mais em aumentar os lucros? Errado. Nesta fase, é fundamental fortalecer o relacionamento e entender o seu cliente. Mais do que isso, oferecer apoio e empatia com o momento. Incentive-o a investir em um negócio que possa render ​ quando a situação estiver normalizada.

Por fim, em um momento onde a orientação é ficar em casa, o corretor de imóveis tem a possibilidade de investir em cursos online. É recomendado que o foco seja em aperfeiçoamento das ferramentas e aplicativos que estão surgindo no mercado e que, cada vez mais, vem facilitando a escolha dos proprietários e compradores de imóveis.