Quem busca adquirir a tão sonhada casa própria, com certeza já ouviu falar da chamada Taxa Selic. Afinal de contas, é essa taxa que influencia praticamente todos os setores da economia brasileira, e com o setor imobiliário não poderia ser diferente!

A maior parte dos brasileiros usa o esquema de financiamento ao investir na compra de um imóvel. E essa operação de longo prazo acaba envolvendo reajustes anuais no valor das parcelas. Diante dessa situação, é comum que as pessoas tenham receio de pegar crédito no mercado para adquirir uma casa ou um apartamento, com taxas de juros em alta.

Porém, com a Taxa Selic em baixa, as condições de financiamento ficam mais vantajosas, pois os bancos também baixam as próprias taxas de juros. Por isso, diante desse cenário, a compra de um imóvel passa a ser um negócio com bem menos riscos. Quer entender um pouquinho melhor sobre o assunto? Então confira esse artigo que preparamos para você:

Entenda que Taxa SELIC e inflação estão ligadas

A Taxa SELIC é, para o governo, uma importante ferramenta para o controle da política econômica. Sendo muito utilizada, por exemplo, para evitar a perda do poder de compra da moeda.

Quer entender melhor como isso funciona na prática? Vamos lhe dar um exemplo: se a inflação no país está em alta, o Banco Central aumenta a taxa básica de juros para restringir o crédito e, assim, a velocidade de consumo é freada. Pela lei da oferta e da procura, se as negociações não acontecem, os preços caem e a inflação diminui.

Com a economia desacelerada e a inflação controlada em níveis baixos, o governo reduz a Taxa Selic. Desse modo, como os títulos públicos federais passam a ser menos interessantes para os bancos, a oferta de crédito aumenta! Assim, cria-se um cenário perfeito para você começar a pensar em novos projetos, como por exemplo, a aquisição do seu imóvel.

Cenário atual da Taxa Selic

Há quase um ano, o Banco Central vem reduzindo a taxa básica de juros no Brasil. Em junho de 2020, por exemplo, o Copom (Comitê de Política Monetária) baixou a Selic para 2,25% ao ano, o menor patamar histórico. A queda da taxa de juros do financiamento habitacional também gerou um aumento da procura por imóveis. Portanto, mais do que nunca, o momento é ótimo para quem procura uma boa oportunidade de compra, tanto à vista quanto financiado.

Segundo o presidente do Secovi-MS, Marcos Augusto Netto, a compra de um imóvel é o tipo de investimento que nunca se desvaloriza.

A prioridade do brasileiro é a casa própria, e isso não muda. O efeito é muito positivo para o setor, para quem pode comprar e não está em dificuldade, é um ótimo momento para investir em imóveis. O imóvel é um investimento que não desvaloriza, aquele investidor mais conservador acostumado a aplicar em títulos, poupança, com certeza tudo conspira para investir em imóveis”, explica.

Conclusão

Considerando todas as informações repassadas neste artigo e as condições do cenário do mercado imobiliário atual, fica fácil entender que ao investir na compra de um imóvel já pronto, você terá um retorno considerável ao mês com aluguel. Afinal, é sempre bom garantir uma renda fixa com o dinheiro de um aluguel, não é mesmo?

Vale lembrar que imóveis adquiridos na planta, possuem uma perspectiva de valorização depois de pronto. Sendo assim, o retorno financeiro quando se aluga também é garantido. Portanto, se você possui uma reserva financeira guardada e estava esperando a hora certa para utilizá-la, talvez o momento ideal tenha chegado.

Continue acompanhando o blog da Montreal para ficar por dentro das principais informações do mercado imobiliário! E no site, você confere as nossas diversas opções de imóveis para compra e locação!

Com informações do Portal Correio do Estado